Sete dicas para meditar com cristais

Image by Photo by Samuel Austi

Uma profunda meditação vale mais do que mil palavras. Máxima Rabínica

 

Escolha do local

É extremamente importante o sítio onde meditamos pois pode influenciar bastante a experiência e até condicioná-la. Deve ser um local limpo, sossegado e harmonioso. Antes e depois da meditação deve sempre proceder à sua limpeza, defumando-o.

Rotina

Criar uma rotina diária para a meditação é fundamental. Acenda uma vela e um incenso, ouça uma música relaxante com taças de cristal ou tibetanas. Tudo isso prepara o cérebro para meditar e usufruir de todos os benefícios.

Conforto

Deve adotar uma postura confortável. Meditar em posição de lótus, por exemplo, pode ser penoso para algumas pessoas e comprometer todo o processo. Se o corpo não está confortável, a mente dispersa. Pode optar por sentar-se de acordo com as suas possibilidades, mas também deitar-se, no caso de colocar cristais no 3º olho, por exemplo.

Expetativa

Não é bom ter grandes expetativas no ato de meditar. Confie que a sua experiência é a melhor que pode ter naquele momento. Com o tempo e prática a sua experiência vai tornar-se mais sólida e gratificante.

Selecionar o cristal

Podemos meditar com intenções específicas: cura pessoal, equilíbrio, conexão de guias espirituais, … Para isso devemos selecionar o cristal mais indicado, de acordo com aquilo que pretendemos.

Mente tranquila e Respiração

Sentir e estar recetivo à vibração energética do cristal juntamente com a consciência no momento presente é fundamental.Focalizar a atenção num cristal e na respiração é uma maneira eficaz de acalmar a mente e evitar distrações.

Exploração

Segurar simplesmente o cristal e sentir a sua energia é uma experiência única. Contemplar a sua cor e forma, com atenção plena e exercícios respiratórios, é extremamente poderoso e funciona muito bem com uma labradorite ou ametista.